Qual a importância e como realizar o treinamento e desenvolvimento de líderes?

treinamento e desenvolvimento de líderes

Qual a importância e como realizar o treinamento e desenvolvimento de líderes?

As páginas dos livros de história revelam a importância que Alexandre III ou “O Grande”, teve no antigo império grego e no mundo. Suas façanhas militares ajudaram a Grécia a espalhar sua cultura pelo planeta e, ainda hoje, sentimos a sua influência. O sucesso desse imperador começou a ser construído na juventude pelo seu tutor: o filósofo Aristóteles. Isso mostra o valor do treinamento e desenvolvimento de líderes.

Mas como realizar um programa de treinamento eficiente? Quais são os benefícios que as empresas alcançam com essa prática? Neste artigo, abordaremos esses questionamentos. Acompanhe os próximos tópicos!

Por que treinar e desenvolver as lideranças?

O exemplo do imperador macedônio Alexandre, “O Grande”, mostra que um colaborador bem treinado se torna um líder muito capacitado. O bom treinamento de um líder tem o mesmo efeito que a modelagem de um oleiro sobre o barro. No começo desse processo, o oleiro tem apenas a matéria-prima. Porém, ele consegue transformá-la em uma obra de arte, como um belo vaso ornamental.

No contexto corporativo, os gestores são os “oleiros”, que usam as técnicas e conceitos do programa de treinamento e desenvolvimento, para “moldar” as habilidades e competências dos líderes. E que benefícios são colhidos com esse processo? Vejamos alguns deles a seguir.

Desenvolver a inteligência emocional

A inteligência emocional tem sido definida como a capacidade de entender e gerenciar as próprias emoções, bem como reconhecer e influenciar as emoções das pessoas ao redor. Essa habilidade sobrepõe o conhecimento técnico e, por isso, é apontada como uma das softs skills mais valorizadas do mundo corporativo.

Quer uma prova dessa afirmação? Um artigo publicado pelo “World Economic Forum” apresentou uma pesquisa feita pela CareerBuilder que revelou uma informação surpreendente: 71% dos empregadores entrevistados valorizam mais a inteligência emocional do que o quociente de inteligência (QI).

A razão para isso é que profissionais com uma alta inteligência emocional têm mais chances de manterem a calma sob pressão, resolver conflitos com eficiência e tratar os colegas de trabalho com empatia. Notou como todas as competências listadas nesse estudo são essenciais para um líder?

Para reconhecer e desenvolver a inteligência emocional na liderança, muitas empresas recorrem ao programa de treinamento e desenvolvimento, uma vez que ele explora técnicas que auxiliam no alcance dessa meta. Além disso, ajuda na retenção dos líderes que possuem essa soft skill.

Aumentar a produtividade

Líderes produtivos estimulam os colaboradores a aumentarem o seu desempenho no trabalho. No entanto, equilibrar a produtividade com o gerenciamento de pessoas pode ser um grande desafio. Uma cena comum é um líder estressado com a quantidade de demandas. Com isso, há uma enorme queda no desempenho dele e da sua equipe.

Para evitar esse cenário, as empresas precisam ensinar a sua liderança maneiras de suavizar as obrigações ao passo que derrubam os obstáculos à produtividade. Como fazer isso? Por meio de um programa de treinamento e desenvolvimento.

Durante as aulas, os participantes podem ser inseridos em atividades experienciais, ou seja, tarefas que estimulem o desenvolvimento da produtividade na prática. Entre os ensinamentos, os líderes aprendem a:

  • definir metas;
  • escolher ferramentas para otimizar as demandas;
  • aproximar-se e conhecer bem a sua equipe;
  • melhorar a comunicação com o time;
  • gerenciar melhor o tempo.

Percebemos que esses conhecimentos são como “molas” que impulsionam a produtividade tanto do líder quanto das equipes.

Resolver conflitos internos

Vivemos diante de uma nova mentalidade no mundo empresarial. Se antes as equipes eram segmentadas por função, hoje são integradas para alcançar resultados mais rápidos. No passado, os times eram homogêneos e feitos por profissionais com habilidades bem parecidas, mas agora são plurais agregando vários perfis em uma mesma área.

Sem dúvida, essa união de práticas colaborativas com a diversidade nos times resulta em muitos benefícios. Porém, existem desafios como a elevação dos conflitos internos. Afinal, as pessoas costumam se dar bem com outras que têm uma personalidade parecida. Sendo assim, nunca houve tanto a necessidade de líderes com capacidade de gerenciar conflitos.

Segundo o livro “Administração de conflitos — abordagens práticas para o dia a dia”, do escritor Ernest Artur Berg, os conflitos nos tempos atuais são inevitáveis. No entanto, saber lidar com eles é uma estratégia que leva ao sucesso pessoal e do negócio. Na verdade, as discordâncias podem até contribuir para serviços de excelência.

Esse gerenciamento eficiente dos conflitos faz parte dos ensinamentos do programa de treinamento e desenvolvimento de líderes. Aliás, a liderança aprende não só a resolver e aproveitar os efeitos positivos das divergências da equipe, como também a lidar de forma madura com os conflitos entre os próprios líderes.

Com essa habilidade em solucionar conflitos, a liderança consegue também reduzir a rotatividade (turnover) da empresa. O motivo é que os liderados começam a ver os desentendimentos por uma ótica positiva e construtiva.

Conhecer melhor sobre o mercado

Voltando ao exemplo de Alexandre, “O Grande”, podemos aprender mais um benefício que um bom treinamento proporciona. Esse imperador estudava bem sobre um reino que desejava conquistar. A partir daí, elaborava as estratégias que conduziriam a vitória do seu exército.

Podemos presumir que esse pensamento estratégico foi passado pelo seu professor Aristóteles — um dos primeiros a desenvolver a teoria do silogismo, que envolve a conexão de ideias e raciocínios lógicos. De modo similar, líderes eficientes precisam aprender a conhecer o mercado em que a empresa atua para identificar oportunidades, elaborar estratégias e conquistar novas áreas comerciais.

Entretanto, essa liderança só alcançará esse “patamar” com a ajuda de um programa de treinamento e desenvolvimento. Nas aulas, o focalizador mostrará aos participantes como melhorar o seu raciocínio lógico e pensamento estratégico. Essas soft skills são importantíssimas no atual mundo corporativo, no qual as transformações ocorrem com muita rapidez devido às tecnologias baseadas em dados, como o business intelligence e a inteligência artificial.

Com a mesma velocidade, a liderança moderna precisa tomar decisões que levam a instituição a ter relevância no mercado em que atua. Do contrário, a sobrevivência do negócio é colocada em “xeque”.

Como deve ser realizado o treinamento das lideranças?

No início do artigo fizemos uma comparação entre o trabalho do oleiro com o dos gestores de uma organização. Se analisarmos bem, podemos encontrar mais similaridades. Por exemplo, o oleiro escolhe qual será a técnica utilizada na moldagem do barro.

O mesmo acontece com os gestores que desejam implantar um eficiente programa de treinamento e desenvolvimento de líderes. Eles precisam entender que técnicas e conceitos tornarão os ensinamentos mais atrativos para a sua equipe. Elevando, assim, o nível de imersão e retenção dos aprendizados. Como alcançar esse sucesso no treinamento? A seguir, daremos algumas sugestões.

Avalie as necessidades dos líderes

Em um primeiro momento, os gestores têm que identificar as necessidades da liderança. No entanto, obter esse entendimento pode não ser uma tarefa muito fácil, pois exige tempo e cuidadosa observação. Uma maneira de conseguir isso é por meio de constantes avaliações e aconselhamentos.

O primeiro recurso pode ser utilizado com a ajuda de tecnologias que mensuram o desempenho dos líderes. Uma delas é o software de gestão de performance ou competências. Essa aplicação gera relatórios, com base em testes de avaliação que apontam as áreas em que os líderes estão indo bem ou que precisam melhorar.

Com respeito a segunda maneira, a política de aconselhamento ou feedback, podemos dizer que também é uma excelente estratégia para o direcionamento do programa de treinamento. Durante essas conversas, os gestores podem descobrir necessidades que um líder tem ou desafios que enfrenta.

Todas essas informações serão válidas para a elaboração das atividades do treinamento, uma vez que as aulas poderão abranger essas deficiências. Sem falar que os métodos de aprendizagem serão modelados para minimizar deficiências e otimizar habilidades.

Escolha o tipo de treinamento adequado

Quando é feita a avaliação das necessidades dos líderes, os gestores escolhem a metodologia mais adequada para o programa de treinamento. Por exemplo, se o objetivo é desenvolver ou fortalecer as competências da liderança, a aprendizagem experiencial embasada na metodologia Team Building é a melhor opção.

Com a ajuda de atividades lúdicas fundamentadas na neurociência e nas psicologias comportamental e positiva, as dinâmicas atingem as principais necessidades da liderança moderna. Isso é possível devido às fases que levam ao fluxo de desenvolvimento desse tipo de programa. São elas:

  • preparação;
  • experiência;
  • consciência;
  • debriefing;
  • aplicação.

Em resumo, essas etapas abrangem o entendimento das necessidades e o mapeamento das soluções para elas. Em seguida, é feita a aplicação da metodologia para o programa de treinamento. Durante o programa, são apresentadas atividades de alto impacto com base em conceitos de aprendizagem. Por fim, há a utilização de técnicas para a retenção e a sustentação dos conteúdos.

Mesmo após o fim do período de treinamento, acontecem avaliações e a geração de relatórios para que os gestores continuem acompanhando o desenvolvimento da equipe. Com certeza, um programa de treinamento desse nível é um excelente meio de promover uma orientação para resultados da liderança.

Estabeleça metas

A elaboração de metas a serem alcançadas após o programa de treinamento e desenvolvimento de líderes é importante para a aplicação dos aprendizados. Além de motivar a liderança a alcançar resultados melhores.

Outro benefício das metas envolve a construção do próximo treinamento, pois o atingimento ou não delas aponta para falhas que podem ser citadas no decorrer do programa. Mas como construir objetivos eficazes?

Algumas renomadas empresas modernas, como o Google e o LinkedIn, utilizam a metodologia “objectives and key results” (OKR). Esse conceito é simples de ser implantado. Funciona assim: os “objectives” (em português, objetivos) dão foco às metas, uma vez que são claros e específicos. Um exemplo seria o objetivo de fazer a liderança integrar as equipes.

Já os key results (em português, resultados) são como “pequenos passos” que levam ao alcance da meta estabelecida. Para entendermos melhor, podemos pensar em ações que ajudam na conquista do objetivo citado no parágrafo anterior. Por exemplo, para integrar as equipes, os líderes precisam:

  • melhorar a comunicação com o time;
  • implantar soluções virtuais que promovam o trabalho em equipe;
  • premiar todos os que participaram de um projeto e não apenas alguns;
  • incentivar o alcance de resultados em conjunto.

Conseguimos perceber como essas metas menores apontam para a principal, concorda? No entanto, para que a OKR faça a diferença no alcance dos objetivos do treinamento são necessários:

  • a definição de prazos equilibrados para a aplicação das metas menores;
  • o acompanhamento dos resultados;
  • a transparência dos OKRs, ou seja, toda a equipe deve conhecer o objetivo principal, as metas menores e o progresso nelas;
  • as metas serão estabelecidas tanto pelos gestores do treinamento quanto pelos líderes treinados.

Fazendo assim, não haverá “amarras soltas” no programa de treinamento e desenvolvimento. Pelo contrário, a empresa como um todo logo perceberá a atuação de uma liderança mais capacitada.

Contar com o apoio de especialistas de treinamento

Montar um programa de treinamento bem direcionado envolve muito trabalho e experiência em lidar com conteúdos voltados para profissionais do mundo corporativo. Por isso, muitas empresas preferem deixar a estruturação desse processo nas mãos de uma organização que tem larga vivência nesse universo empresarial.

Dessa forma, evita-se o comportamento de “tentativa e acerto” que leva as empresas a adotaram treinamentos que não se aplicam ou não geram o engajamento dos times. O resultado é a perda de tempo e o consumo de recursos financeiros importantes para o negócio.

Podemos apontar com uma enorme vantagem o fato da implantação de conceitos e técnicas modernas para o desenvolvimento da liderança. Esse conhecimento é feito por meio de um estudo profundo dos profissionais de uma empresa especializada em treinamento. Sem dúvida, será um suporte para o alcance do alto desempenho dos líderes.

Ao passo que os treinamentos ocorrem, a organização começa a ter um histórico para acompanhar o progresso dos participantes. Essas informações farão os próximos eventos serem cada vez mais personalizados e adaptados à realidade dos líderes.

Enfim, treinar líderes é pensar no futuro da empresa. Deixar essa prática de lado significa entregar o rumo do negócio nas mãos de profissionais despreparados e esperar que levem a organização para o sucesso. Isso não tem lógica, concorda?

Sendo assim, aplicando as sugestões dadas neste artigo, com certeza o programa de treinamento da sua empresa será mais do que simples aulas, mas aprendizados que tornarão os líderes em profissionais de alto desempenho.

Gostou do nosso conteúdo? Entendeu o valor de realizar o treinamento e desenvolvimento de líderes? Quer ter um parceiro para implantar esse processo na sua empresa? Então, converse com os profissionais do Team Building Brasil agora mesmo!

Sem comentários.

Postar um comentário